Folha de papel, você me machucou!

paper-2541687_960_720

Por Carla Ramos de Paula

Há alguns dias ocorreu algo bem inusitado comigo. Levanta a mão aí quem já cortou a mão com uma folha de papel. Sim, esse é o tema do post de hoje.

Eu estava mexendo com umas folhas e do nada, ao organizá-las, cortei meu dedo com o papel. Até aí tudo bem, eu sabia que folhas podiam cortar e tudo, já havia cortado em outro momento. Mas, dessa vez foi muito diferente, o corte no meu dedo doía demais mesmo, uma dor que latejava, aquele pequeno machucado realmente me deixou inquieta hehehe.

E, então, percebi que dali nasceria uma lição. Primeiro eu pensei: será que não estou sendo muita “fraca”, fresca? Isso não pode estar doendo a ponto de ficar me lamentando… Depois, refletindo vi que apesar da aparência do corte, das circunstâncias, e tudo e tals, sim estava doendo e eu precisava admitir isso, fazer algo. Pronto, peguei um band-aid e coloquei no corte, passou alguns dias e meu dedo voltou ao normal.

Diante disso, aprendi que nenhuma dor deve ser comparada com outra dor, só quem de fato está vivendo um determinado momento sabe o que está passando. E Deus me levava refletir: quantos momentos nós julgamos, criticamos e achamos que a dor do outro é frescura, menor do que a nossa, só porque é diferente da que estamos sentindo.

E, disso tudo, eu vi que o mundo precisa de uma injeção de empatia, ou seja, devemos saber nos colocar ou tentar entender, compreender, o que o outro está sentindo ou vivendo. É fato que nunca conseguiremos em essência compreender essa dor, mas respeitar, ajudar e saber que dói já é o suficiente para um bom começo, e que começo…

Talvez, se alguém do meu lado cortasse o dedo com uma folha de papel e me contasse eu não entenderia que isso dói mesmo, por isso, vamos ouvir e tentar sentir, antes de falar e julgar.

Um machucado físico talvez necessite de algo para a solução: band-aid, faixa, gesso… algum tratamento e tals… E quantos cortes pequenos desses tentam diariamente invadir nosso coração? Não deixe que as coisas negativas e os sentimentos ruíns causem cortes em seu coração.

Jesus pode curar o que para você não tem mais jeito. Sim! Ele cuida, Ele restaura, Ele É, Ele faz.

Esse texto não foi pensado para sairmos murmurando diante de pequenas coisas da vida, pelo contrário, o intuito é prestarmos atenção que a dor existe e cada um sente ela diferente,e é preciso de cura para nossos machucados. Sempre há uma solução! Acredite!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *